• Grandes e Pequenos em Interação

    O Projeto Grandes e Pequenos em Interação é promovido pelo Instituto das Comunidades Educativas e pela Câmara Municipal de Setúbal com a colaboração do Grupo EnvelheSeres, em geral, inscrevendo-se no âmbito da área de intervenção da Sensibilização.

    Numa fase em que o afastamento das várias gerações é cada vez maior devido a alterações da dinâmica familiar, a Câmara Municipal de Setúbal reconhece a importância que as atividades intergeracionais têm na transmissão de valores e divulgação de conhecimento.

    Se por um lado, as crianças e os jovens beneficiam de um aumento do interesse pela aprendizagem, de uma melhoria do relacionamento com uma geração mais velha e de uma desmistificação das representações sociais negativas, relacionadas com o envelhecimento, que têm vindo a emergir na nossa sociedade. Por outro lado, para os idosos, estas atividades fomentam a sua inclusão social, favorecem a sua autoestima e promovem um envelhecimento ativo.

    A representação social interfere na maneira como as gerações mais novas lidam com a velhice embora as relações intergeracionais sejam marcadas pela experiência que cada um tem. Existem mitos (construções sem bases reais com uma representação simbólica) e estereótipos (chavões, ideias feitas, baseadas em perceções automáticas) em relação a “ser idoso” que importa conhecer e estar preparado para abordar quando se trabalha com intergeracionalidade. Estes minam as relações intergeracionais e, embora as crianças não pareçam ser muito permeáveis às conotações negativas da velhice, a insistência da sua veiculação e a privação do contacto com este grupo acaba por influenciar o olhar sobre as gerações mais velhas e gerar comportamentos gerontofóbicos no futuro.

    Desta forma, acreditamos que uma das formas de combater os estigmas que ainda existem na nossa sociedade em relação aos mais velhos passa pela aproximação das gerações. Neste contexto, a intergeracionalidade assume-se como uma abordagem válida na mudança das conceções negativas acerca dos idosos.

    Se é verdade que as gerações mais velhas têm uma função de transmissão de conhecimentos e saberes às novas gerações, e que essa transmissão é imprescindível para a preservação da cultura coletiva, também é verdade que as gerações mais novas podem ser transmissoras de conhecimentos e promotoras de bem-estar, participação social e auto valorização dos idosos.

    Para tal, propôs promover um conjunto de atividades de carater mensal com diferentes temáticas com a durabilidade de uma hora, de outubro a maio, a alunos do 1º ciclo e do pré-escolar em Escolas situadas em diferentes zonas geográficas, do Concelho de Setúbal.

    Todas as atividades têm como mote a Sabedoria Popular e debruçar-se-ão em matérias como as histórias de vida, as festas e tradições do outrora, os jogos e brinquedos do antigamente, as canções, …

    Ambas as gerações possuem saberes e a sua troca possibilita vivenciar vários modos de pensar, agir e de sentir, assim como de mudar opiniões e visões acerca do mundo e das pessoas, mas respeitando as suas diferenças e criando uma história comum, a partir das sabedorias de cada um.

     

    Objetivos Gerais

    – Desconstruir as imagens negativas e os estereótipos habitualmente associados às pessoas idosas

    – Reduzir os comportamentos discriminatórios baseados na idade

     

    Objetivos Específicos

    – Informar sobre o envelhecimento

    – Aproximar gerações

    – Melhorar a comunicação intergeracional

    Assim, propõe-se juntar crianças com pessoas idosas, para que aprendam umas com as outras, convivam e se divirtam ao partilhar experiências.

    Através do contacto frequente e renovado com crianças, as pessoas idosas afirmam que se sentem mais úteis, contribuindo também para a sociedade. Este sentimento traz energia e promove a sua saúde e bem-estar. Ambas as gerações beneficiam da diversão em atividades partilhadas e, através desta interação, aprendem sobre os mundos e modos de vida umas das outras desafiando estereótipos culturais ligados à idade ou género.

    Um dos aspetos a ter em consideração na implementação de atividades intergeracionais, é apostar no seu desenvolvimento de forma continuada e não como sendo atividades de circunstância pontual. Esta continuidade deve-se ao facto de desta forma ser mais fácil promover relações afetivas entre idosos e crianças.

     

    1.ª Sessão da Ação _ outubro

    • Conceito de envelhecimento
    • Preparar a desconstrução dos estereótipos associados à velhice

    Será feita a apresentação do Grupo EnvelheSeres assim como a apresentação do projeto “Grandes e Pequenos em Interação”.

    Seguidamente será realizado um exercício de quebra-gelo em que se sugere que cada participante se apresente e que indique: “O que é ser Criança?”, “O que é ser Velho?”, sem que haja uma discussão sobre o que é dito. Num painel serão colocadas todas as palavras-chave referidas.

    Brainstorming sobre a temática do envelhecimento em que todos os participantes apontam 3 palavras que associam à velhice, sem que haja um debate sobre o que é dito e sem que se faça qualquer avaliação sobre o que foi expressado.

    Agrupamento por nuvens temáticas, contribuindo para os conceitos que serão aprofundados ao longo das sessões seguintes.

     

    2.ª Sessão da Ação _ novembro

    • Partilha de memórias
    • Estimulação da memória
    • Estimular o interesse das gerações mais novas pelo passado
    • Desenvolver o conceito de envelhecimento

    Reconhecendo a importância de dar voz e escutar a memória coletiva e a história de vida de pessoas idosas, uma vez que estas podem contribuir para sua própria identidade, como também para a propagação de saberes para outras gerações, a 1º sessão terá como mote “Histórias de Vida”.

    Exemplos de atividades: cada idoso leva um objeto que considere que o identifique (instrumento musical, livro…) e partir do mesmo partilhará alguns momentos da sua vida; é projetado uma seleção de fotos de momentos da vida do idoso que servirão de partida para a sua história de vida.

     

    3.ª Sessão da Ação_ dezembro

    • Partilha de memórias
    • Estimulação da memória
    • Estimular o interesse das gerações mais novas pelo passado

    Esta sessão será debruçada sobre o tema “Festas e Tradições”, onde os idosos transmitem tradições em determinadas festas e a cultura familiar, por exemplo as festas de Natal ou passagem de ano com ementas especiais da família, aniversários e também a passagem de objetos particulares como alianças, moveis, fotografias ou joias.

     

    4.ª Sessão da Ação_ janeiro

    Muitas profissões desapareceram ao longo dos anos, à medida que a sociedade mudou e a tecnologia progrediu, sendo esta sessão dedicada às “Profissões do Passado” – ardinas, varinas, pastores, sapateiros, …

     

    5.ª Sessão da Ação_ fevereiro

    O tema desta sessão será “Brinquedos e Brincadeiras do Antigamente”, onde se promoverá uma conversa acerca das memórias das brincadeiras de infância e de alguns hábitos e costumes, numa época em que ainda não havia plástico ou computadores, em que muitas das brincadeiras estavam ligadas às estações, ao estado do chão, em harmonia com a natureza;

     

    6.ª Sessão da Ação _ março

    • Promover o bem-estar
    • Aproximar crianças e idosos através da música, detetando pontos de interesse comuns;
    • Promover a convivência intergeracional e a integração entre crianças e idosos;
    • Desenvolver relações intergeracionais

    Utilizando a musica como elemento facilitador da construção de afetos, identidade comunitária e inclusão social, esta sessão será dedicada às “Canções”, no sentido de ouvir e partilhar canções de infância.

     

    7.ª Sessão da Ação _ abril

    O conceito de escola transformou-se ao longo dos anos, de uma escola onde o professor era uma autoridade, estava acima de tudo e todos, onde as punições eram frequentes tanto físicas como psicológicas, e tudo isso com permissão dos pais ou não era valorizado a educação formal, indo as crianças, muitas vezes aprender um oficio para a realidade atual.

    Tendo noção dessas profundas alterações, esta sessão será dedicada ao tema “A Escola de Ontem”.

     

    8.ª Sessão da Ação _ maio

    Na ultima atividade, as crianças terão possibilidade de experimentar um simulador que permitirá sentir as dificuldades físicas sentidas no envelhecimento.

  • Educação e Criatividade em Tempos de Pandemia

    Seminários Online: Educação e Criatividade em Tempos de Pandemia

    No âmbito do projeto 3Rs – Resistir, Reinventar, Recriar – Do longe Fazer Perto o ICE – Instituto das Comunidades Educativas, em parceria com o CPDF – Centro de Professores para o Desenvolvimento e Formação – CCPFC/ENT-AP-0465/19, realizou um Ciclo de Seminários Online: Educação e Criatividade em Tempos de Pandemia.

    O Ciclo de Seminários é uma ACD – Ação de Curta Duração, com 3 sessões, de 2 horas cada, num total de 6 horas, com os seguintes objetivos:

    – Reflexionar criticamente sobre estratégias e práticas pedagógicas reinventadas em tempos de pandemia;
    -Analisar as transformações decorrentes da adoção do digital nos processos educativos;
    – Promover a escuta e o empoderamento entre pares;
    – Partilhar experiências sobre o modo com as pessoas e as instituições têm lidado com a pandemia.

    Assim tivemos:

    1º Seminário: Arte, Ambiente e Cidadania

    2º Seminário: Currículo/Aprender e Ensinar

    3º Seminário: Ambientes Educativos: famílias, comunidades e outros ambientes educativos

    Cada formando recebeu um certificado de participação após a frequência de todas as sessões e depois de ter avaliado, através do google forms, esta ACD.

  • O ICE e o Circo

    Projecto educativo desenvolvido com o TEIP Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches

    O ICE Braga, juntamente com um grupo de 6 alunos do TEIP Agrupamento de Escolas Dr Francisco Sanches, foi à Escola Alemã de Lisboa assistir ao teatro-circo “Relembrar Para o Presente” , onde teve a oportunidade de conhecer e conversar com Esther Bejarano, uma sobrevivente de Auschwitz salva pela música.

    Para mais informação sobre os nossos parceiros clique nos links em baixo:

    https://www.radieschen.de/

    https://circusvagabunt.wordpress.com/

  • Seminário Luso-Brasileiro de Educação de Infância ​ | Congresso Luso-Afro-Brasileiro de infâncias e Educação

    O Seminário Luso-Brasileiro de Educação de Infância surge da necessidade de discussão sobre a formação docente, as culturas da infância e a participação das crianças (dos 0 aos 6 anos de idade) nos diversos contextos e atividades que lhes dizem respeito. A primeira edição teve lugar em Maceió, Brasil, em novembro de 2015 (I Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil – “O lugar da criança nas políticas e práticas educacionais”), organizado pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e a segunda em Braga, Portugal, em julho de 2016 (II Seminário Luso-Brasileiro de Educação de Infância – “Investigação, formação docente e culturas da infância”), organizado pela Universidade do Minho (UMinho). A terceira edição realizou-se novamente no Brasil, em julho de 2017 (III Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil – “Políticas, Direitos e Pedagogias das Infâncias”). O quarta edição do SLBEI – Seminário Luso-Brasileiro de Educação de Infância e I CLABIE – Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Infâncias e Educação realizou-se em Aveiro – Portugal (em novembro 2018) sob o tema “Educação, culturas e cidadania das crianças”. O V SLBEI – Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil e II CLABIE – Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Infâncias e Educação terá lugar em S. Paulo – Brasil (em dezembro 2019) sob o tema “Infâncias, cidade e democracia”.

    Numa perspetiva de internacionalização da formação e da pesquisa, o evento congrega investigadores/as, educadores/as, professores/as, formadores/as, estudantes e demais interessados/as nas pesquisas, nos debates e nas propostas relacionados com a Educação de Infância.

    Pretende-se igualmente fomentar o intercâmbio de profissionais que atuam em diversos contextos de educação das crianças, almejando promover o bem-estar, a cidadania e as culturas da infância.

    Cleriston Izidro dos Anjos (UFAL, Brasil), Fernando Ilídio Ferreira (UMinho, Portugal)

    Produtos intelectuais já disponíveis:

    Para mais informações consulte https://www.slbei.com/

  • FIDEC – Festival International des Droits des Enfants et de la Citoyenneté

    In 2019, the International Convention for the Rights of the Child will have 30 years of existence. The Fédération Nationale Les Francas, a French organisation, is planning to gather 650 children and teenagers aged from 6 to 16 to an international festival of the rights of the child to take place in France in October 2019: one part in a hosting region (20th-22d October), one part in the festival in Paris (22d to 25th October).

    The Francas wish to invite children from at least 5 countries.

    The festival will take place in Paris during 4 days, but we want to invite the children 2 days before in order for them to meet children from a hosting region with whom they will go together to the festival.

    The hosting regions are Île-de-France, Haut-de-France or Centre Val de Loire (not too far away from Paris). For the festival, 500 children will come from France, 100 from Île de France and Paris, and 50 from other countries (Germany, Portugal – INSTITUTO das COMUNIDADES EDUCATIVAS / TEIP AGRUPAMENTO de ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES (Braga), Slovenia, Belgium, Algeria and other countries tbc). The children can come with their school, leisure centre, children local council, children non-profit organisation…

    We want to invite 5 to 10 children per country and 1 to 2 youth worker or teacher, from one or two different places in the country. We plan to ask for Erasmus + fundings together on the deadline of the 30th of April 2019, for this the children must be aged minimum 13 and will be hosted in the Île-de-France region. We plan to ask for OFAJ-DFJW fundings as well, so that children under 13 from Portugal, Germany, Slovenia and Algeria can come. 80 youth workers will be on site to support the youth workers

    from France and other countries coming with their group.

    We want to invite the international groups to stay during 2 days before the festival within the leisure centers of the region which is inviting them, and then to take part in the festival together with the French children of their hosting region from Tuesday at 2 p.m. to Friday at noon. We plan more time if the groups want to stay on Friday afternoon to enjoy Paris for free time, and leave on Saturday 26th in the morning. The children will sleep in youth hostels from the cities hosting them in the hosting regions, and in youth hostels in Paris.

    Before the festival, we would be very glad if the participants could prepare themselves to take part.

    We plan to collect the expressions of the children about their living conditions and their rights in practice. The topics are diverse: what the children like, what is boring for them, what they would change, what is essential for them… in their daily life, holiday, leisure center, city, village… as concerns school, health, transportation, accommodation, food, free time… The places where we would like to

    collect those expressions are also diverse: philosophical workshops, webradio workshops, city children councils, children parliaments, artistic workshops as pictures, movies, drawings, comic strips, poster…

    During the festival, the participants will have access to various spaces:

    – An international gallery of the rights with the productions made by groups of children

    (exhibitions, posters, art, movies…)

    – Rooms for workshops to express themselves about their rights, including radio room

    – A space for dialogue with elected representatives (French, but European as well)

    – A space with games, digital gaming and books related to the rights of the child

    We will ensure that the children understand each other, and understand what they see and hear during the festival, taking into account the language dimension.

    After the festival, the expressions of the children will be reachable on an online platform about rights and citizenship. We plan to edit a qualitative report at the end of 2019 with the expressions and recommendations. In November 2019, we plan to gather 1600 adults at the “Francas Convention” (congress, forum and popular university) and to discuss with them about the results of the expressions of children. We will then write the guidelines of our organization for 2020-2025.

     

    LES FRANCAS

    2019

    Assista ao documentário FIDEC "Festival International des Droits des Enfants et de la Citoyenneté Paris 22-25 Octobre 2019"

    Apresentação dos Alunos do 8º1 do TEIP Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches aos colegas do grupo internacional de AMIENS antes do encontro de Paris

    Who we are….

    We are a group of students who over the last three years (since 5th grade) have developed projects based learning on the interpretation of the world through the eyes of citizenship.

    We are currently 24 students from Brazil, Angola, Guinea-Bissau, Nepal, Ukraine, Iraq and Portugal, between the ages of twelve and fifteen, all 8th graders (2019/2020) sharing our experiences and knowledge in a collaborative way.

    We are supported by a group of teachers from various fields and many friends, colleagues and technicians from other institutions that work along with our school, like ICE – Institute of Educational Communities.

    We love listening to music, dancing, drawing, taking pictures and playing football. We’re good friends.

    What are we going to present?

    The projects we have been developing over the three years we are together, such as:

    – The reinterpretation of Don Quixote de La Mancha or how we created the “City of Rights”;

    – How we developed the project “If this street were mine…”, developing critical, but constructive views on the places where we live in order to improve them;

    – How we created board games to help you learn what we study in the different subjects of the 7th grade;

    – How we questioned dating violence and bullying in schools;

    – How we debate the rivers that pass where we were born and how we defend the environment.

    We would like to share our experiences, show how we organize ourselves, how we do research, how we discuss and disseminate our work and how we identify what we already know and what we still have to learn.

    Class – 7.1

    School – Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches – Braga

    Math and Science Teacher and Educational Coordinator – Isabel Candeias

    ICE – Andréa Duarte

    Siga-nos no facebook!

  • Mediação e Promoção do Livro e da Leitura

    Projecto Educativo de Intervenção Comunitária

    Este projeto assenta no pressuposto essencial de que “todas as crianças têm o direito a ser leitoras, ou seja, o acesso aos livros e a oportunidade de se tornar leitor, no sentido pleno do termo, é um direito fundamental da criança, em qualquer lugar e em qualquer etapa do seu desenvolvimento” (http://www.ibby.org/fileadmin/user_upload/Fundraising_brochure_2010.pdf).

    Somos professores, educadores, mediadores por excelência e nunca apolíticos, pois não há neutralidade em educação, toda a educação é política, como constatou Paulo Freire. Este é um projeto de intervenção comunitária, pensado, criado, implementado e desenvolvido por nós no Instituto das Comunidades Educativas (ICE).

    A leitura é, nas palavras de Castrillón (2013), “um direito de todos que, além disso, permite um exercício pleno da democracia”.

    O Cesto não transporta apenas livros que são lidos em voz alta e partilhados com um crescente número de turmas, também leva com ele emoções, sentimentos, memórias individuais e colectivas e usos diversos.

    Cada livro tem uma história, tem um segredo guardado pelo uso que tantos e tão diversos leitores lhe dão e que só o mediador conhece, por exemplo, há livros que já foram banco, bolo de aniversário, bengala, gelado, mordedor, almofada, comboio e até trilho de caminhada!

    Todas as semanas levamos livros e leituras em voz alta desde os bebés aos jovens num projeto que se desdobra em três acções, consoante o perfil leitor (www.casadaleitura.org) de cada criança, de cada grupo:

    1. O Cesto dos Livros – Pré-Leitores
    2. A Barrigada de Histórias – Pré-Leitores e Leitores Iniciais
    3. À Roda dos Livros e da Leitura – Leitores Medianos e Leitores Autónomos

    Andréa Duarte

    ICE_Braga

  • Todos Juntos Podemos Ler – Eu, tu e o mundo

    Projecto Educativo - No âmbito do LER + com o TEIP Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches

    O trabalho com Literatura Infantil, permite-nos explorar várias competências. Sendo assim, no âmbito deste projeto, Ler+ Eu, Tu e o Mundo, pode explorar-se a heterogeneidade na e da escola, com o objetivo de formar cidadãos críticos e autónomos que participam do processo social, conscientes de seus direitos e deveres na sociedade com base no respeito mútuo.

    Para mais informação ver:
    Veja ainda outras atividades relacionadas na NEWSLETTER DAS BIBLIOTECAS
  • CENTURIUM

    Programa Educativo

    O Programa Educativo CENTURIUM® conta apoio e suporte do ICE para a dinamização de comunidades de aprendizagem a partir de práticas não-formais e inclusivas. Junto de todos os alunos na escolaridade obrigatória, estes são preparados para assumir o programa nos seus contextos, através da tomada de decisão colegial, utilizando a metodologia de assembleia. O CENTURIUM® tem por base quatro jogos de tabuleiros ancestrais – Moinho, Tábula, Soldado e Seega. O CENTURIUM® tem momentos de encontros através de torneios realizados nas turmas, escolas, concelhos, famílias e a nível nacional, final em Braga. É promotor de boas práticas para a promoção do sucesso escolar, flexibilização curricular e inclusão. Tem nos seus torneios os escalões: 1º, 2º, 3º ciclos, secundário, Necessidades Educativas Especiais, professores e famílias. Conta também com o concurso para a construção do tabuleiro mais original segundo as premissas dos 5 Rs. Esete programa educativo já conta com uma ampla rede de concelhos e, ainda, maior de escolas e comunidades educativas. O CENTURIUM® realiza momentos de formação para alunos, famílias e para professores, sendo que neste último caso ´são ações de formação acreditadas, que levam o CENTURIUM® para contextos curriculares. Através do CENTURIUM® o ICE promove sinergias entre escola, município e instituições culturais, onde se encontram, para através do património, cultura e intervenção social, gerar uma retaguarda segura para a criança intervir nos seus meios.

    Para mais informação ver:
  • IDA AO PARLAMENTO

    Lisboa - 2018

    Dia 19 de dezembro de 2018 deslocou-se à Assembleia da Republica um grupo de Maiores

    Dia 19 de dezembro de 2018 deslocou-se à Assembleia da Republica um grupo de Maiores (com os quais o ICE tem vindo a realizar diversas tertúlias e com quem já organizámos dois Congressos da Anciania). Estas dinâmicas continuam em processo, sempre com o objetivo da participação dos mais velhos e de dar visibilidade às suas problemáticas.

    Consulta de temas apresentados:

    Voluntariado

    Centro Comunitário

    Desresponsabilização Familiar